Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Realidade socioambiental da BA e SE marca abertura do seminário sobre a Laudato Si

28 de outubro de 2017
jpg

 A Encíclica Laudato Si, escrita pelo papa Francisco como o primeiro documento da Igreja Católica exclusivamente sobre as questões socioambientais, é o tema do seminário iniciado nesta sexta (27/10), em Feira de Santana (BA). O evento, realizado pelo Regional Nordeste 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, formado pelos estados da Bahia e Sergipe, segue até o domingo (27/10).

A programação foi iniciada com um momento celebrativo, que percorreu os 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida e rememorou os “sinais de vida” e “sinais de morte” que caracterizam as realidades dos territórios do regional Ne3. “O seminário nos convida a reconstruir uma casa que possa ser verdadeiramente uma casa comum”, afirmou na ocasião Dom João Carlos Petrini, presidente da CNBB Ne3.

O evento é a culminância de quatro seminários temáticos, que aconteceram nas sub-regiões pastorais 2 (dioceses de Aracaju, Estância e Propriá), 3 (dioceses de Feira de Santana,Juazeiro, Bonfim, Irecê, Ruy Barbosa, Serrinha, Paulo Afonso) 4 (dioceses de Vitória da Conquista, Caetité,  Livramento e  Jequié) e 5 ( dioceses de Barreiras, Barra e Bom Jesus da Lapa). Na ocasião, foram apresentadas as devolutivas destes momentos, com o objetivo de apresentar a realidade do regional e identificar e fortalecer iniciativas socioambientais da igreja e da sociedade civil.

Foi o caso da sub-região pastoral 2, que partilhou os compromissos assumidos no seminário local, dentre os quais estão a formação de comissões diocesanas de meio ambiente, criação de um conselho paroquial do meio ambiente e eliminação do uso de copos descartáveis. Já a sub-região 4 expôs a injustiça ambiental sofrida pelos atingidos por grandes projetos de mineração, a exemplo do amianto em Bom Jesus da Serra, da magnesita em Brumado e do urânio em Caetité.

DSC_7758

Meio ambiente e saneamento básico, questão indígena, questão quilombola, migração e tráfico humano, cidade, realidade do semiárido, ribeirinhos, comunidades sem – terra e assentados. Essas causas comuns se fizeram presentes através de um painel de testemunhos com os depoimentos de Renato Cunha  (Grupo Ambientalista da Bahia), Cacique Tupinambá Ramon Souza ( Teia dos Povos), Eliete Paraguaçu (Quilombola e integrante do Movimento dos/as Pescadores/as) Irmã Marta (Rede Grito Pela Vida), Cícero Félix ( Articulação do Semiárido  Brasileiro), Zilda Marina (Articulação Poupular São Francisco Vivo), Mauro Luiz (Movimento dos Pequenos Agricultores), Frei Luciano Bernardi (Comissão Pastoral da Terra) e Guiomar Germani (Geografar/ UFBA).

Para Renato Cunha o Seminário da Laudato Sí é um momento importante para fortalecimento das lutas. “ Teremos dois grandes eventos no ano que vêm, o Fórum Social Mundial (FSM) e o Fórum Alternativo Mundial da Água (FSM), é importante que essas experiências estejam lá. Precisamos levar essas bandeiras , as mobilizações e propostas concretas”, afirmou.

A programação do evento segue com a realização de momentos reflexivos, plenárias e oficinas sobre o feito das mudanças climáticas, perda de biodiversidade, desigualdade planetária, contaminação e escassez de água, deterioração da qualidade de vida humana e degradação social, poluição e cultura do descarte e  aceleração dos ritmos de vida, de trabalho e de uso dos bens comuns.

 

Comentários

comentários

Seja um Doador

Somos Nordeste 3 – Somos Cáritas

Faça parte dessa rede
Faça parte desta Rede

Redes Sociais

Prestação de Contas

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

Contato

Cáritas Regional Nordeste 3
Rua Emília Couto, Nº 270 B - Brotas
CEP 40.285-030


Salvador/Bahia
+55 (71) 3357-1667

caritasne3@caritas.org.br