Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Bahia: Mobilizações denunciam o crime da Vale em Brumadinho e a contaminação do Rio São Francisco

21 de fevereiro de 2019
brasil-barragem-brumadinho-021

“Minas não tem mar, mas fizeram dois mares de lama nas minas […]  Tingiu de marrom as águas do meu Rio Doce, coloriu de terra meu Paraopeba, vai tingir meu Velho Chico”. No dia em que se completa um mês do crime da Vale em Brumadinho, segunda-feira (25), cidades baianas se unem em um gesto de solidariedade e luta:  o “Ato em Solidariedade às Vítimas de Brumadinho e em Defesa do Rio São Francisco”. Já estão confirmadas ações nos municípios de  Juazeiro, Barra,  Paulo Afonso, Guanambi e Bom Jesus da Lapa. Em Salvador, o ato acontece às 10h30, na Praça Campo da Pólvora e contará com a presença de familiares das vítimas.

As mobilizações integram um calendário nacional de lutas, os atos estão previstos em todos os estados do Brasil e as  organizações também  se preparam para atividades no dia internacional de luta contra as barragens (14 de março). Organizado por entidades ecumênicas e inter-religiosas, pastorais sociais, sindicatos, Via Campesina e pela Frente Brasil Popular, a ação busca denunciar o crime da Vale e suas consequências para o Rio São Francisco, cujas águas podem ser contaminadas por cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos derramados com o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão. “A contaminação no Velho Chico virá dos metais pesados contidos na lama, que não ficarão alojados na hidrelétrica de Três Marias, podendo causar danos a saúde da população que depende do rio”, afirma Moisés Borges, do Movimento dos Atingidos por Barragens, em material encaminhado a imprensa.

Um crime que se repete – Não houveram  sirenes ou alertas  quando três barragens se romperam em Brumadinho, situada a cerca de 60 km de Belo Horizonte (MG). A lama, que continha rejeitos da mineração de ferro, em minutos matou centenas de pessoas, destruiu a fauna e a flora da região e segue percorrendo o curso do Rio Paraopeba, seguindo para o Rio São Francisco. As últimas estimativas apontam para 169 mortes confirmadas, embora esse número possa alcançar mais de 300 vítimas, pois 141 pessoas ainda permanecem desaparecidas ou sem contato.

A companhia Vale S.A , antiga estatal brasileira privatizada nos anos 90,  é também a responsável, juntamente com a BHP Billiton, pelo rompimento da barragem Fundão no município de Mariana (MG), em 5 de novembro de 2015, até então considerado o maior crime socioambiental do país.

SERVIÇO

O quê – Ato em Solidariedade às Vítimas de Brumadinho e em Defesa do Rio São Francisco

Quando e onde: 25 de fevereiro nos seguintes municípios:

-Salvador – 10h na praça Campo da Pólvora

-Bom Jesus da Lapa – 8h na Barrinha

-Juazeiro – 8h na Praça Dedé Caxias

-Barra – 8h na rampa do Mercado Central

-Paulo Afonso – 7h30 na Praça dos Aposentados

-Guanambi – 10h saindo da Paróquia Santo Antonio até a Praça do Feijão

Por Cáritas Ne3

Com informações de Lorena Carneiro

Foto em destaque Andre Penner/AP

Comentários

comentários

Seja um Doador

Somos Nordeste 3 – Somos Cáritas

Faça parte dessa rede
Faça parte desta Rede

Redes Sociais

Prestação de Contas

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

Redes Sociais

Contato

Cáritas Regional Nordeste 3
Rua Emília Couto, Nº 270 B - Brotas
CEP 40.285-030


Salvador/Bahia
+55 (71) 3357-1667

caritasne3@caritas.org.br